1

18 de dezembro

No último domingo, dia 18, completou 1 ano que temos nossa filha em casa. Confesso que dias antes lembrei da data, mas no dia propriamente dito, esqueci. Lembrei novamente ontem, queria ter escrito algo, não deu tempo. Tá dando agora, madrugada de terça… Acontece. O tempo voa, cada segundo do dia é ocupado, ainda mais final do ano, que parece que o dia tem carga horário reduzida com tantas coisas pra finalizar.

Aí, começa a escrever texto, lembra que tem mais um monte de coisas pra fazer, vai lá na agenda, anota tudo pra não esquecer. Não dá pra confiar no próprio cérebro.

As fotos são daquela manhã, do dia 18/12/2015, depois de 51 dias do seu nascimento, a gente finalmente estava indo de alta pra casa. E ao chegar, uma linda surpresa dos amigos Thiely e Abel, que estiverem com a gente em todos os momentos. Antes, durante e depois. Foram 50 longos dias, onde eu também estava lá, internada no hospital, morando num andar abaixo da UTI Neonatal, com outras mamães guerreiras, aguardando esse tão esperado dia. O protocolo de alta hospital é igual ao de uma criança que nasce, e após 3 dias vai pra casa. A enfermeira acompanha a gente até a recepção, ganhamos uma árvore para plantar e olhares de todos orgulhosos por mais uma mamãe saindo do hospital com seu filhote. Que bom foi passar por isso.

Hoje, depois de tudo que já passamos, o saldo é positivo. Lembro com gratidão de toda superação que já passamos. Lembro de medos que tínhamos e deram lugar a confiança, de incertezas que deram lugar a fé, de dificuldades que foram superadas, de novas dificuldades que vem e vão… É o ciclo da vida. É a vida se mostrando capaz de aprendermos com as dificuldades, de superarmos o impensável, de sentirmos orgulho da nossa filha mexendo perninhas frenéticas e demonstrando alegria ao ver nossos rostos ao acordar pela manhã.

Sempre disse isso e continuarei a dizer, sou muito grata a Cecília por me dar a chance de viver essa vida com ela, por ter me escolhido, por me amar, respeitar meu tempo e me ensinar o verdadeiro valor da vida que vivemos.

A vida mudou desde aquele ultrassom, desde lá, nunca mais fui a mesma. Às vezes me pego pensando no dia de amanhã, pois é nosso vício querer planejar, então, enxugo a lágrima e digo pra mim mesma: viva o hoje. E o importante é agradecer mais um dia ao lado dela, ao lado da nossa família. Agradecer mais um dia de aprendizados, conquistas alegrias e superações.

img_20151218_101316067
img_20151218_112507520
img_20151218_115923665
img_20151218_120009510
img_20151218_120019814

“Não é preciso apressar o passo, mas acalmar o coração…”

Anúncios
7

20 dias depois

Amanhã a Ceci completa três meses de vida e um mês e 9 dias em casa. Fazem 20 dias desde o último post e resolvi escrever nessa manhã calma.

A Camila comentou que o que escrevo normalmente é triste e concordo com ela, normalmente uso esse espaço para desabafar. Porem, são altos e baixos, então por que não falar dos altos?

A tempos atrás alguém (desconhecido) me enviou no Facebook um vídeo (clique aqui) do Augusto Cury. Assisti todo e refleti bastante. Mudei um pouco, os pensamentos mudaram, a forma como encaro as coisas mudou. Será que foi o vídeo? Não sei, mas funcionou…

Em 20 dias (desde o último post) muita coisa mudou, voltei a trabalhar, a Camila fica em casa com a Ceci, a rotina é pesada. As cólicas diminuíram muito, ela acorda (quando acorda) apenas uma vez por noite e acorda por fome ou cólica. Posso dizer que a vida começou a voltar ao normal. Não precisamos voltar a hospital atrás de atendimento de urgência.

Nessa última semana tivemos grandes vitórias. Fomos ao supermercado, depois a praça do bairro e por último ao Shopping. A Ceci finalmente saiu de casa com outro objetivo que não é visitar médicos.

Esses três passeios nos deixaram muito felizes. O Shopping foi o mais complicado, perdemos a noção do tempo e a pequena ficou com fome, mas, resolvemos… Só deu mais trabalho. E mesmo assim shopping não é nosso programa preferido, seria muito mais legal se pudêssemos ir de encontro a natureza. Tudo ao seu tempo.

A Ceci está fazendo fisio, dá um trabalho!! Começa as 07:30, duas vezes por semana, isso significa que temos que acordar as 05:00 para dar o leite. Zzzzzzz

Ela também está mamando mais, agora são os incríveis 120ml de leite. Ela está ganhando peso, crescendo e o melhor, o crescimento da cabecinha está estável!!!!

Nas últimas semanas tem ensaiado movimentos com a boca, quem sabe ela aprenda a sugar logo? O nosso maior desejo é abandonar a sonda. Ficamos encantados com o desejo dela de colocar a chupeta na boca, ela fica afoita, linda!!! Marcamos fono para ela, foi difícil achar uma, não sabemos como será, mas temos muita esperança.

Na visita ao fono, o resultado do BERA, exame que mede a audição, o resultado foi ruim. Segundo este exame, a Ceci tem a audição nula, mas como disse a fono, devido o liquido, o exame pode não funcionar. Acreditamos muito nisso, já que notamos que ela reage a sons. E também conversamos virtualmente com mães de bebês em casos parecidos e ela relatam o erro no exame também.

Já na visita a ofta, descobrimos que a parte física dos olhinhos está ótima, tudo certinho, tudo no lugar. Mas, como filha do “Oclinhos” ela tem suas dificuldades, são 7 graus de hipermetropia. Nada de anormal para a idade, mas será tratado com óculos… Pensa na fofura!!!! Eu quando pequeno tinha 8 graus, então é coisa de família! Agora é aguardar o próximo exame para investigar outras possíveis complicações e logo ir atrás de terapia ocupacional.

Ontem fomos no neuro, tivemos notícias boas e notícias menos boas. As boas são relacionadas ao liquor que tem mantido em pressão estável, ou seja a pressão está controlada e aos poucos o cérebro vai voltando ao lugar. A não tão boa é que pode ser que precise de outra válvula, agora de pressão regulável, o benefício disso será reduzir mais ainda a quantidade de líquido e logo o tamanho da cabecinha dela, claro que é um processo demorado e complicado, mas nos alegra em saber da possibilidade, o lado ruim é que será mais uma cirurgia…

No mais a vida está boa, seguimos em frente com nossos desafios diários que envolvem nosso trabalho e nossa vida. Vendemos o carro e compramos um mais barato, agora para a família. Sedan é carro de família né? Estamos pensando em nos mudar (esse papo é longo e ficará para outros tempos). Estou conseguindo trabalhar, com ajuda do grande amigo Rodolfo, o escritório tem funcionado.

Não há como deixar de agradecer a força que recebemos de nossos amigos. A Maitê que sempre que pode, vem nos visitar (ela não sabe a importância que tem pra gente) o Rafa e a Carol, que moram aqui do lado e sempre que nos visitam trazem consigo bom-humor e esperança. O Abel e a Thiely, que desde os primeiros dias de gravidez nos ajudaram demais, eles são nossos maiores confidentes, não há como agradecer a eles! Nossos pais, sempre prontos para ouvir nossas angustias, solícitos a nossos chamados. E vou parar por aqui, existem outras pessoas que nos mandam recados, ligam, conversam e se preocupam com a gente, a Ceci nos tornou pessoas muito sortudas.

Ah! Ontem compramos o primeiro brinquedo para ela. Adivinha qual é?!

Cecília acordando... Preguiçaaaaaa

Cecília acordando… Preguiçaaaaaa

Agora é hora de terminar de passar o café é sair para mais um dia de trabalho.

Obrigado a todos, obrigado universo por dias tão bons!!!!